user_mobilelogo

• Jaehoon Chang, CEO da Hyundai Motor, revelou o plano e as estratégias de eletrificação da empresa durante o CEO Investor Day 2022;

• Hyundai tem como objetivo vender 1.87 milhões de BEVs por ano até 2030, reforçando a sua gama através da introdução de 17 novos modelos BEV – 11 dos quais da marca Hyundai;

• Hyundai Motor está a considerar a criação de uma nova unidade de produção dedicada a BEVs, de forma a aumentar a capacidade de produção e dar resposta à alta procura por BEVs;

• Estratégia global de baterias da Hyundai passa por maximizar a eficiência das baterias de iões de lítio e desenvolver tecnologias para baterias de próxima geração;

• Hyundai quer reforçar a competitividade nos BEVs através de capacidades de hardware e software, introduzindo uma Integrated Modular Architecture (IMA) em 2025 e destinando 8.9 mil milhões de euros ao aumento da competitividade do software em áreas como a conectividade e a condução autónoma;

• Hyundai prevê investir mais de 71 mil milhões de euros em negócios futuros até 2030, estando cerca de 14.5 mil milhões de euros reservados para a eletrificação;

• Hyundai prevê atingir 10% ou mais da margem de lucro operacional através de BEVs. Numa base consolidada, visa assegurar uma margem de lucro operacional de 10%; • Jaehoon Chang, CEO da Hyundai Motor, reforçou a aposta no progresso sustentável, através da competitividade do hardware e sofware em EVs.
A Hyundai Motor Company revelou o plano estratégico para acelerar os seus objetivos ligados à eletrificação, à medida que trabalha no progresso sustentável da empresa.
O Presidente e CEO, Jaehoon Chang, assim como outros executivos, apresentaram os planos a acionistas, investidores e outros stakeholders no fórum virtual ‘CEO Investor Day 2022’. Foram também revelados os objetivos de vendas e desempenho financeiro para 2030.

O roadmap da Hyundai, no que diz respeito aos veículos 100% elétricos (BEV), consiste no reforço do line-up BEV, na otimização da capacidade de produção e na garantia da competitividade do hardware e software. Seguindo esta estratégia, a empresa visa aumentar as vendas anuais globais de BEVs para 1.87 milhões de unidades e assegurar uma quota global de mercado de 7% neste segmento até 2030.
No evento, a Hyundai também apresentou os seus objetivos financeiros a médio e longo prazo. A empresa reservou mais de 71 mil milhões de euros para investimento em futuros negócios até 2030, incluindo 14.5 mil milhões de euros para a eletrificação e 8.9 mil milhões de euros para o aumento da competitividade do software em áreas como a conectividade e a condução autónoma.
Até 2030, a Hyundai visa também alcançar uma margem de lucro operacional de 10% ou mais em negócios de EVs, através do aumento da competitividade em termos de capacidades de hardware e software com uma linha de produtos alargada. Numa base consolidada, visa assegurar uma margem de lucro operacional de 10%.
“A Hyundai está a acelerar com sucesso a sua transição para a eletrificação e a tornar-se um líder global em EVs, apesar do ambiente empresarial desafiante causado pela escassez global de chips e pela pandemia em curso", afirmou o Presidente Jaehoon Chang. “Em conjunto com os nossos esforços contínuos para melhorar o valor dos EVs, a Hyundai Motor continuará a assegurar a sua sustentabilidade empresarial como ‘Mobility Solutions Provider’ através de tecnologias avançadas não só de hardware, mas também de software".
Reforço do line-up BEV
A Hyundai Motor elevou o objetivo de vendas anuais de BEV para 1.87 milhões de unidades até 2030 – de 560.000 unidades anteriormente anunciadas até 2025. A empresa pretende também conquistar 7% de quota de mercado no mercado global de BEVs.
Procurando expandir a sua gama BEV, a Hyundai planeia ainda lançar 17 novos modelos até 2030, 11 dos quais da marca Hyundai – três modelos de sedan, seis SUV, um comercial ligeiro e um novo tipo de modelo.
Otimização da capacidade de produção de EVs
A Hyundai Motor pretende estabelecer um processo de produção de alta eficiência para a produção de BEVs, com o objetivo de acelerar a sua transição para a eletrificação. O Centro de Inovação Global da Hyundai Motor em Singapura, fundamental para a inovação na cadeia de valor da mobilidade da empresa, irá construir uma inovadora plataforma de produção centrada no ser humano. Espera-se que a plataforma traga uma inovação drástica na eficiência da produção através de um sistema de produção flexível, automatização de nível avançado e tecnologia digital twin. No futuro, a inovação será expandida a fábricas por todo o mundo.
Para além das instalações de produção de BEVs na Coreia e na República Checa, a Hyundai planeia expandir gradualmente as suas bases de produção de BEV, começando com uma fábrica indonésia inaugurada recentemente. As instalações vão iniciar a produção de BEVs este ano para ajudar a expandir o volume de produção.
À medida que as plantas de produção BEV se expandem, a empresa está a tentar aumentar a taxa de aquisição local de baterias através de parcerias estratégicas com empresas de baterias nas principais regiões, incluindo os EUA, para assegurar um fornecimento suficiente de baterias. Através destes acordos, a empresa espera obter mais de metade das suas baterias de lítio da próxima geração para BEVs a partir de 2025.
Relativamente às baterias da próxima geração, entre as quais as baterias de estado sólido, a Hyundai está a trabalhar com vários parceiros globais para melhorar a densidade energética e a eficiência de custos.
Assegurar a competitividade de hardware e software
A Hyundai Motor planeia introduzir uma Integrated Modular Architecture(IMA), desenvolvida a partir da plataforma E-GMP que é a base do IONIQ 5, lançado com sucesso em 2021. A IMA será utilizada não só como plataforma BEV de passageiros da Hyundai Motor, mas também como plataforma exclusiva para Purpose-Built Vehicles (PBV), ajudando a racionalizar os processos de produção e a reduzir os custos.
A IMA está a ser desenvolvida para padronizar não só um chassis, mas também o sistema de bateria e o motor, podendo ser utilizada para modelos BEV em todos os segmentos, de forma a melhorar a autonomia. Ao contrário do sistema de desenvolvimento BEV atual, que utiliza diferentes tipos de conjuntos de baterias para cada modelo, a inovadora IMA pode ser equipada com conjuntos de baterias padronizados, independentemente do modelo, para melhorar a eficiência de custos. Através do sistema cell-to-pack, a nova arquitetura consegue assegurar uma melhor capacidade energética e encurtar o tempo de carregamento.
Também serão instalados na IMA cinco tipos de motores padronizados, de acordo com as necessidades do modelo. Este sistema modular de motores consegue garantir a competitividade em termos de custo e peso, assim como a eficiência do motor.
A Hyundai Motor irá também desenvolver arquiteturas de software, de forma a proporcionar uma experiência satisfatória para os clientes. A empresa planeia aplicar uma atualização de software over-the-air (OTA) aos novos modelos lançados a partir do final de 2022 e expandi-la a todos os modelos Hyundai até 2025. Além disso, o número de unidades de controlo integradas poderá ser reduzido em um terço até 2030.
Em termos de tecnologia de condução autónoma, a Motional, que resulta de uma parceria entre a Hyundai Motor Group e a Aptiv, planeia expandir a área de serviço do robotáxi IONIQ 5 iniciando este ano os serviços de condução autónoma através de parcerias com a Uber Eats.
A Hyundai atingirá uma transformação do software através da expansão das áreas de negócio da mobilidade, conectividade e outros serviços baseados em dados e do aumento da competitividade do mesmo. Para tal, a empresa irá estabelecer centros especializados de excelência para o desenvolvimento de software na Coreia e outros países.
Até 2030, a empresa investirá um total de 8.9 mil milhões de euros para aumentar a competitividade em capacidades de software, incluindo mais de 3.2 mil milhões de euros em desenvolvimento de tecnologias, tais como conectividade e condução autónoma, 3.5 mil milhões de euros em investimento estratégico para start-ups e centros de investigação e 2.1 mil milhões de euros em tecnologia de informação e comunicação (TIC). Após 2030, a empresa tem como objetivo que as receitas das empresas relacionadas com software correspondam a aproximadamente 30% do total das vendas.
Objetivos financeiros
A Hyundai também revelou os seus objetivos financeiros a médio e longo prazo até 2030, incluindo um investimento de 71.3 mil milhões de euros. Deste valor, 29.1 mil milhões de euros serão atribuídos à investigação e desenvolvimento e 32.5 mil milhões de euros a despesas de capital, para aumentar a competitividade empresarial. Os restantes 9.5 mil milhões de euros serão dedicados a investimento estratégico.
Do investimento total para concretizar esta estratégia, 14.4 mil milhões de euros serão reservados para o campo da eletrificação, de forma a expandir a capacidade de produção EV, construir estações de carregamento elétricas e criar parcerias tecnológicas estratégicas.
Até 2030, a Hyundai pretende atingir uma margem de lucro operacional de 10% ou mais em EVs, aumentando o volume de vendas e inovando a estrutura de custos. Um line-up EV reforçado e o desenvolvimento de baterias eficientes de próxima geração, bem como da IMA, ajudarão a empresa a atingir os seus objetivos financeiros. Numa base consolidada, o objetivo é conseguir de uma margem de lucro operacional de 10%.
Este ano, a Hyundai prevê um crescimento entre 13 e 14%, no que diz respeito às receitas consolidadas, e uma margem de lucro operacional consolidada de 5,5 a 6,5%, com um total de vendas de veículos superior a 4.3 milhões de unidades, a nível global.
A Hyundai Motor pretende ainda aumentar o valor acionista através de uma política de retorno favorável ao mercado. Apesar das incertezas atuais, a empresa planeia manter a sua política de dividendos anuais ao mesmo nível do ano passado.