user_mobilelogo

A 31ª edição da Rampa do Caramulo ficará para sempre marcada na arreia de António Rodrigues. O piloto de Santa Marta de Penaguião levou o Silver EF10 da equipa NJ Racing/Lusimed à primeira vitória absoluta da sua carreira, depois de ter sido manifestamente o mais forte durante todo o fim-de-semana.

 António Rodrigues tornou-se assim o quarto vencedor diferente esta época, juntando-se a Hélder Silva, José Correia e Pedro Salvador.

Fê-lo com classe, sendo o mais rápido em todas as subidas de sábado, utilizando as duas subidas de treino de domingo para testar afinações e voltando a “voar baixinho” sobretudo na terceira e derradeira subida de prova, onde realizou o melhor “crono” da prova, ao rodar em 1:18.056, a uma média horária superior a 131 quilómetros por hora.

No fecho e quando comemorava euforicamente com a sua equipa e família, o popular piloto conhecido como a “bala do Douro” não escondia a mescla de sentimentos que o invadia:

“Estou muito feliz, mas também aliviado. Foi um fim-de-semana quase perfeito e que premeia todo o nosso esforço e dedicação para conseguirmos deitar para trás o terrível início de época, com os problemas mecânicos em Murça e o acidente na Penha, recomeçar tudo de novo, aprender o carro, desenvolver as suas capacidades, focar-me em andar depressa e com segurança e começar a conseguir bons resultados, coroando agora todo este percurso com uma vitória que jamais esquecerei”. O piloto destaca “a justiça do triunfo. Estabeleci os dois tempos mais rápidos do fim-de-semana e na subida de prova onde fui um pouco mais lento, tive um problema no arranque que me fez perder tempo. O carro esteve excecional e esta vitória é para a minha família, a minha equipa NJ Racing, para a FR Power e para os patrocinadores”, prometendo que “vamos continuar a lutar por mais vitórias no futuro, querendo fazer de 2023 um época bem sucedida”.

Atrás de si, o segundo lugar foi assegurado por José Correia (Norma FC20), com o patrão e piloto da JC Group Racing Team a quedar-se a 4,2 segundos do vencedor. No entanto, este 2º lugar é positivo para as suas aspirações ao título nacional absoluto, que irá discutir em Boticas na última prova do ano, com o líder Hélder Silva, ausente no Caramulo.

Foi grande a festa dos fãs de Sérgio Nogueira no fecho da prova. O bracarense almejou ser muito rápido na “barchetta” Osella PA21 S que já pertenceu ao malogrado Paulo Ramalho, levando as cores da NSF Racing Team ao 3º lugar, conquistando aquele que é o seu primeiro pódio absoluto da carreira.

Quanto a Nuno Guimarães, o “Capitão da Montanha” levou o seu SilverCar S2 até ao 4º lugar da geral, dominando nos Protótipos B e contribuindo para o fabuloso resultado de conjunto da NJ Racing e cimentando as suas ambições cada vez mais sólidas a ficar no pódio absoluto final do campeonato.

Nos GT, assistimos no Caramulo a um dos duelos mais intensos da época e logo na prova em que Vítor Pascoal levou o seu Porsche à conquista do segundo título nacional de Montanha da sua carreira.

O baionense acabaria por vencer, mas não sem que tivesse de se esforçar e intensificar o andamento durante a jornada de domingo, mercê dos ataques que lhe foram movidos pelo espanhol Bernardo Garcia de Castro (Porsche 997 GT3 CUP), com esta vencer mesmo uma das subidas de prova, terminando em 2º a 1,5 segundos de Pascoal que garantiu assim a sexta vitória da época.

Gabriela Correia levou o Mercedes AMG GT4 da JC Group Racing Team ao 3º posto, somente a 2,5 segundos do vencedor e a 1 segundo cravado do espanhol.

Quanto a categoria Turismo, Luís Nunes conquistou a quarta vitória da temporada. O Piloto de Valpaços impôs o seu Skoda Fabia R5 pela quarta vez na época e bastar-lhe-á alinhar em Boticas para conquistar o quarto título nacional da categoria consecutivo. Logicamente, também venceu nas contas da Divisão 1, ficando aqui na frente de Pedro F. Marques (Subaru Impreza WRX) e de Eduardo Gonçalves, num Mitsubishi Lancer EVO X.

Joaquim Teixeira fez tudo o que lhe era possível com o Cupra TCR da JT59 Racing Team/Bompiso para desfeitear Nunes, mas teve de se contentar com um positivo 2º posto na categoria, vencendo novamente na Divisão Turismo 2, onde encontrámos José Carlos Pouca Sorte que, voltou a ser segundo nestas lides e terceiro na geral da categoria, estando cada vez mais nrápido com o VW Golf R35. O pódio da T2 ficou completo com a presença de Manuel Rocha e Sousa (Cupra TCR) no terceiro posto.

291 milésimas de segundo separaram os três primeiros colocados da Divisão Turismo 3, no somatório dos tempos das duas melhores subidas, que deu o tempo final de classificação. Incrível.

Foi um duelo sem tréguas e sem vencedor antecipado que envolveu Bruno Carvalho (Citroen Saxo), Alberto Pereira (Honda Civic Type R) e Parcídio Summavielle (Renault Clio RS R3).

Os três venceram subidas e mantiveram-se sempre separados por décimas. No final Carvalho acabaria por se impor, conquistando a quarta vitória do ano, na frente de Pereira e de Summavielle.

Por sua vez, Sérgio Mateus (Semog Troféu) venceu uma vez mais nas lides da Taça de Portugal de Kartcross de Montanha, troféu que conquistará no fecho da época.

O campeonato prepara agora a sua festa de fecho e regressa ao ponto de partida, pois será bem dentro do coração de Trás-os-Montes que, a 24 e 25 de setembro, verá ser disputada a edição 2022 da Rampa de Boticas.