user_mobilelogo
  • Sexta-feira e sábado, 399 concorrentes percorrem quase 500 quilómetros contra o cronómetro.

A 35ª edição da Baja Portalegre 500, a mais antiga e importante prova de todo terreno em Portugal, marca o final dos campeonatos nacionais de carros e vai ser o palco de todas as decisões na Taça do Mundo FIA de Bajas Cross-Country e na Taça da Europa FIA de Bajas Cross-Country. Quase 500 quilómetros de percurso nas duras e seletivas pistas de todo terreno do Alentejo, é o desafio que os 404 pilotos inscritos (cerca de 20 por cento de estrangeiros, de 27 nacionalidades) têm pela frente, já na próxima sexta-feira e sábado, e com as previsões meteorológicas a apontarem para a ocorrência de chuva. 

Em 2021, a carismática prova realizada no Alto Alentejo retoma uma configuração mais tradicional, depois de alguns condicionalismos provocados pela pandemia e pela meteorologia, em 2020. Nesse sentido, destaque para o regresso da cerimónia de partida em pleno centro da cidade de Portalegre, na noite de quinta-feira, dia 28 de outubro. Aí, todos os pilotos vão receber os aplausos daquele que costuma ser o primeiro banho de multidão do evento. 

No dia seguinte, sexta-feira, os 399 concorrentes enfrentam, pela primeira vez, as pistas de TT do distrito de Portalegre. A competição começa com a SSS1 para motos, quads e SSV, logo às 7h50 da manhã, e a especial de qualificação para os carros, pouco antes das 10 horas. 

A Baja Portalegre 500 vai ter várias corridas a acontecer em simultâneo, pois se o primeiro desafio é igual para todos os concorrentes, a partir daí, os programas competitivos divergem. No total, os carros percorrem 410 quilómetros contra o cronómetro, enquanto motos, quads e SSV fazem 415 quilómetros de pistas. No total, os concorrentes dos automóveis têm pela frente um total de quase 662,99 quilómetros (593,68 km), enquanto as motos, os quads e os SSV vão fazer 596,94 quilómetros nas duas etapas desta edição da clássica alentejana. 

O itinerário que o Automóvel Club de Portugal desenhou para os automóveis divide-se em quatro setores seletivos, dois na primeira etapa e mais dois na segunda etapa. O mesmo acontece nas motos, nos quads e nos SSV. O primeiro concorrente das motos a cumprir a totalidade da distância deverá chegar ao fim no sábado, dia 30, por volta das 14 horas, enquanto o vencedor dos automóveis só deverá ser conhecido depois das 15h30 horas. 

Destaque, ainda, para os pilotos da Mini Baja, com idades compreendidas entre os 10 e os 16 anos, que têm a oportunidade de disputar o circuito de SSS1 e, posteriormente, vão discutir as melhores posições num setor com cerca de 70 quilómetros, no sábado, dia 30. 

Ao longo destes dois dias de competição na Baja Portalegre 500, praticamente todo o Alto Alentejo será palco de ação constante, pois enquanto os automóveis estão a cumprir um setor seletivo na região mais a norte do distrito, as motos, os quads e os SSV completam o percurso sul e vice-versa. 

Títulos da Taça do Mundo e Taça da Europa em disputa nos carros 

Entre os automóveis, são muitos os motivos de interesse, até por estarem vários títulos em disputa, tanto na Taça do Mundo FIA de Bajas Cross-Country, como na Taça da Europa FIA de Bajas Cross-Country. 

Na Taça do Mundo, Yazeed Al Rajhi/Michael Orr (Toyota Hilux Overdrive) e Yasir Seaidan/Alexey Kuzmich (MINI John Cooper Works Rally) são os candidatos ao título, sendo que Yazeed Al Rajhi tem as mesmas pretensões na Taça da Europa, mas nesta competição, com a dupla Krzysztof Hołowczyc/Łukasz Kurzej (Mini John Cooper Works Rally) como adversária. Dois duelos que prometem marcar a prova, mas não os únicos… 

Na realidade, recentemente coroados como vencedores da Taça da Europa FIA de Bajas Cross Country na Categoria T4, os portugueses e irmãos, Alexandre Ré/Pedro Ré chegam a Portalegre com hipóteses de também chegarem ao título da Taça do Mundo, tendo como adversários o piloto da Arábia Saudita Abdullah Saleh Alsaif e o kuwaitiano Mshari Al-Thefiri, todos aos comandos de Can Am Maverick. 

Ainda em relação à Taça da Europa FIA de Bajas Cross Country, os espanhóis Santi Navarro e Jesus Fuster vão discutir o título da Categoria T3. 

E se os candidatos aos títulos da Taça do Mundo FIA de Bajas Cross-Country e da Taça da Europa FIA de Bajas Cross-Country são potenciais candidatos à vitória absoluta da Baja Portalegre 500, as mesmas aspirações têm os irmãos brasileiros Cristian e Marcus Baumgart (ambos em Toyota Hilux); os campeões nacionais em título, Tiago Reis/Valter Cardoso (Toyota Hilux); bem como João Ramos/Filipe Palmeiro (Toyota Hilux); os regressados Miguel Barbosa (Toyota Hilux Overdrive), Ricardo Porém (Mini Paceman Proto) e Hélder Oliveira (Volkswagem Amarok); ou mesmo Pedro Dias da Silva (VW Amarok), Alejandro Martins (Mini Cooper John Works Rally), André Amaral (Ford Ranger), entre outros. 

Uma referência, ainda, para as participações do treinador de futebol André Villas Boas (Toyota Hilux) e da paraguaia Andrea Lafarja, também conhecida pelas participações no Dakar, que alinha aos comandos de um Borgward BX7 DKR. 

Nas motos e nos quads, prossegue a luta pelo título nacional 

Nas motos, como penúltima prova do Campeonato Nacional Todo Terreno OPEN 2021, a Baja Portalegre 500 vai ser o palco de mais um duelo pelo título entre António Maio (Yamaha WR450F) e Gustavo Gaudêncio (Honda 250R). Os dois são candidatos à vitória, assim como o alemão Sebastian Bühler (Hero 450 Rally) vencedor das três últimas edições da Baja Portalegre 500, Luís Oliveira (Yamaha WR450) também ele vencedor da prova, Mário Patrão (KTM EXC 450) que, a exemplo de António Maio, soma seis subidas ao lugar mais alto do pódio, entre muitos outros pilotos. 

Também nos quads, a Baja Portalegre 500 vai ser o palco de um duelo pelo título absoluto do Campeonato Nacional, com Luís Engeitado e Luís Fernandes (ambos em Yamaha YFZ450R) com protagonistas. Entre outros, João Vale (Suzuki LTR450) é outro dos candidatos à vitória e ainda há a participação curiosa de três pilotos da Arábia Saudita. 

Nos SSV, não faltam candidatos à vitória 

Os espetaculares e competitivos SSV prometem animar a 35ª edição da Baja Portalegre 500. Quase uma centena vão apresentar-se à partida, com João Dias (acompanhado de João Filipe, em Bombardier Can-Am Maverick) a encabeçar a lista de favoritos, ou não tivesse sido ele o vencedor da edição 2020 da prova e o “campeão” em título da Taça do Mundo FIM de Bajas. Entre os principais adversários, estão nomes como os de João Monteiro, Pedro Carvalho, Gonçalo Guerreiro, Alexandre Pinto, Vítor Santos, Roberto Borrego, Lourenço Rosa, Pedro Grancha, os irmãos Pedro e Manuel Mello Breyner, Nuno Fontes, , Cristiano Batista, Marco Pereira, Hélder Rodrigues, entre outros. 

Uma referência, ainda, para o seis vezes campeão nacional de ralis, Armindo Araújo, que se estreia aos comandos de um SSV, depois de anteriores experiências em moto e automóveis. 

HORÁRIO AUTOS BAJA PORTALEGRE 500 

Quinta-feira, 28 de outubro

 

 

Verificações

07h30-17h00

Cerimónia de partida

21h30

 

Sexta-feira, 29 de outubro – Etapa 1

 

 

Especial de qualificação (3,5 km)

10h30

Partida do SS2 (62,55 km)

15h00

Assistência NERPOR

16h45

 

Sábado, 30 de outubro – Etapa 2

 

 

Partida do SS3 (146,24 km)

07h50

Serviço/reagrupamento

10h00

Partida do SS4 (197,77 km)

13h30

Chegada do 1º carro ao Parque fechado

16h40

Cerimónia do pódio e entrega de prémios

17h30

Conferência de imprensa final

18h00

   

HORÁRIO MOTOS BAJA PORTALEGRE 500

Quinta-feira, 28 de outubro

 

 

Verificações

08h00-14h00

Cerimónia de partida

19h00

 

Sexta-feira, 29 de outubro – Etapa 1

 

 

Especial de qualificação (3,5 km)

07h50

Partida do SS2 (62,55 km)

10h15

Assistência NERPOR

12h00

 

Sábado, 30 de outubro – Etapa 2

 

 

Partida do SS4 (197,77 km)

07h50

Serviço/reagrupamento

10h55

Partida do SS3 (146,24 km)

12h30

Chegada da 1º moto ao Parque fechado

14h50

Cerimónia do pódio

16h45