user_mobilelogo

O piloto de Santa Marta de Penaguião vai estrear-se na Seleção Nacional de Montanha este fim-de-semana, sendo um dos pilotos em que Portugal deposita a esperança para lutar pelos lugares cimeiros da Taça das Nações, integrada no FIA Hill Climb Masters. Ambição não falta a António Rodrigues que sonha com a vitória da equipa das quinas.

Convocado pelo Capitão Nuno Guimarães, António Rodrigues será um dos quatro pilotos da Seleção Nacional na quarta edição do FIA Hill Climb Masters, prova mais importante do calendário internacional de Montanha.

A “Bala do Douro” não esconde o que lhe passou pela alma quando foi feito o anúncio oficial: “foi arrepiante e tornou-se assim um dia histórico na minha carreira de piloto. Recebi a notícia com uma felicidade imensa, que logo foi acompanhado por um sentido de responsabilidade profunda, pois vou representar o meu país pela primeira vez e logo numa Taça das Nações”.

Este momento único da sua carreira é dedicado pelo talentoso duriense “à minha Família, que tanto amo, à minha fantástica equipa NJ Racing, aos meus Patrocinadores, à FRVPower e a toda a Família da Montanha”.

A convocatória seguiu critérios técnicos exigentes e que levaram em linha de conta a regularidade demonstrada pelos pilotos ao longo das seis primeiras provas da temporada do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group.

Contas feitas e António Rodrigues surgiu como o piloto com melhor pontuação, isto numa época onde nunca abdicou de rodar muito rápido, de forma a renovar o título da Divisão protótipos B e estar novamente no pódio absoluto final do campeonato. Percurso notável assinado em apenas duas épocas completas na carreira de piloto de Montanha!

Agora, o piloto do BRC CM05 Evo só tem foco para a missão: “vou dar tudo para tentarmos ganhar a Taça das Nações, seguindo as orientações do nosso Capitão e estando sempre em total sintonia com os meus colegas de seleção. Esta é uma prova em que a equipa está sempre em primeiro lugar!”.

António Rodrigues enfatiza que é “um orgulho partilhar esta internacionalização com a Daniela, o Parcídio e o Sérgio, três pilotos fantásticos e que nos dão garantias de que poderemos estar na luta pelo pódio e, porque não, pela vitória!”.

Por isso e porque a Taça das Nações é disputada segundo as regras de uma prova de regularidade sport, exigindo dos pilotos que nas três subidas oficiais de prova tentem fazer sempre o mesmo tempo, ao milésimo, António Rodrigues sabe que o seu trabalho passa por “utilizar bem as três subidas de treino para memorizar o traçado e afinar o BRC da forma mais eficaz, contando aqui com o excelente trabalho da FR Power. No domingo, ser rápido na subida inicial, que marcará o tempo referência e tudo tentar para igualar esse tempo nas duas subidas seguintes, sabendo que tenho de ser rápido para ficar dentro da janela de tempo em relação ao piloto da minha categoria que venha a ser o mais veloz”, lembrando que “nesta Categoria 4, existem três dezenas de pilotos, todos eles de grande nível e com alguns a tripularem autênticos aviões!”.

A “Bala do Douro” está pronta para “tiros certeiros” num “fim de semana espetacular onde vou estar como piloto, mas também gostaria de estar no público. Vai ser uma grande festa e uma grande emoção por representar Portugal!”.

Utilizando um traçado mais curto da Falperra, com pouco menos de três quilómetros, o FIA Hill Climb Masters terá início com a Parada Oficial, no centro da cidade de Braga, na tarde de sexta-feira. O sábado será reservado a três subidas de treinos e o domingo será integralmente “a doer” com três subidas oficiais de prova.