user_mobilelogo
• Problemas de diferencial ditam abandono
• Ritmo demonstrado deixa indicações positivas
Nuno Matos disputou este fim de semana a Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal. O evento, terceiro do campeonato Portugal de Todo-o-Terreno, acabaria por se revelar inglório, com problemas mecânicos a colocarem um ponto final a uma participação onde a equipa mostrou um bom andamento.
O piloto, acompanhado por Joel Lutas, imprimiu um ritmo sólido no Prólogo de sexta-feira, concluído com o sétimo posto da geral. No entanto, no primeiro Setor Seletivo (SS) de sábado, por volta do quilómetro 40 e numa altura em que a dupla rodava entre o quinto e sexto lugares, o FIAT Fullback Proto acusou problemas no diferencial dianteiro. Uma situação que fez a equipa regressar apenas este domingo, em Rali 2, para disputar a última tirada da prova, os 144.01 quilómetros do SS3. Porém, o carro voltou a não estar a cem por cento e o abandono tornou-se inevitável.
“Foi um fim de semana difícil, em que destacamos como positivo os tempos que conseguimos fazer quando sem problemas. É um bom indicador, principalmente quando estávamos sem competir desde maio. Quanto às questões mecânicas, são imprevistos que acontecem e fazem parte das corridas”, explicou Nuno Matos, que acrescenta: “Hoje optámos por não continuar, para não comprometermos nenhuma das participações futuras, uma vez que dentro de 15 dias temos a Baja Oeste de Portugal e novamente 15 dias depois a Baja Portalegre 500.”
Nuno Matos deixa o agradecimento: “Muito obrigado à minha equipa por todo esforço e empenho para nos fazer estar à partida este domingo. Obrigado também a todos os nossos patrocinadores pelo apoio e confiança e, por último, ao público presente em Reguengos por todo o carinho e paixão demonstrados.”