user_mobilelogo

Após a pausa para as merecidas férias de Verão, está de regresso o Campeonato Nacional de Montanha Valvoline 2017, com a deslocação até Mondim de Basto para disputar a Rampa da Senhora da Graça, penúltima prova do calendário em 2017. Esta prova, que é organizada pelo CAMI Sport com o imprescindível apoio da edilidade local, pode revelar-se decisiva no que à luta pelos títulos diz respeito.

Nos próximos dias 8 e 9 de Setembro vai para a estrada a 6ª edição do Rali de Viana do Castelo, a cargo do CAST, prova pontuável para a Taça de Ralis Asfalto, Campeonato GT, Challenge DS3 e Regional Norte.

Demorou, mas ficou finalmente selado, o resultado final do Campeonato Nacional de Montanha 2016, no que diz respeito à Categoria 4 e ao Grupo TRF, com a reposição da verdade e a atribuição a Francisco Marrão dos troféus referentes ao terceiro lugar final em ambas as classificações.

  • Jovem piloto da Yamaha em luta pelo título absoluto

Depois das duas brilhantes vitórias e de dois segundos lugares já conquistados este ano no Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, Sebastian Bühler apresenta-se na Baja TT Idanha-a-Nova, sexta jornada do Campeonato que se disputa nos dias 8 e 9 de setembro e que marca o seu regresso do CNTT depois da habitual pausa de verão.

As inscrições para as AFN 24 Horas TT Vila de Fronteira de 2017 estão já abertas e decorrem até ao próximo dia 3 de novembro a preço reduzido, enquanto o fecho definitivo das inscrições tem lugar uma semana depois, a 10 de novembro.

A piloto Elisabete Jacinto já está na Póvoa do Varzim onde, juntamente com o seu MAN TGS de competição, vai participar na AgroSemana - Feira Agrícola do Norte - que se realiza entre os dias 31 de Agosto e 3 de Setembro.

  • ER Motorsport com jornada positiva em Braga

O Circuito Vasco Sameiro recebeu a quarta jornada do TCR Portugal, onde o piloto da ER Motorsport, Eduardo Leitão, obteve um 5º e um 6º lugares na primeira e segunda corrida, respetivamente. Para o piloto apoiado pela Biz, Primus, Fruut, Nutriva, Sunlover e Korridas “cumprimos os objetivos que tínhamos delineado para esta jornada. Sabíamos que iríamos sempre sofrer com o facto de corrermos com a caixa DSG em vez de sequencial, que entre outras coisas nos penaliza em velocidade de ponta”. O mais velho dos irmãos Leitão explica que, para compensar este handicap, “temos que esforçar mais as travagens e a velocidade de passagem em curva, para estarmos em melhor posição de atacar ou defender, mas isso acaba por ter reflexos na vida útil dos pneus”.