user_mobilelogo

Três troços, quatro líderes distintos. Os níveis de competitividade no Vodafone Rally de Portugal estão muito altos. Depois de Thierry Neuville e Mads Ostberg terem sido os primeiro líderes, Hayden Paddon assumiu o comando a seguir ao primeiro troço do dia de hoje e agora, Jari-Matti Latvala passou para a frente. 

  • A correr em casa, a DS Virgin Racing vai electrificar as ruas de Paris no ePrix que vai decorrer na Cidade Luz
  • A equipa está a postos para a 6ª ronda do Campeonato FIA de Fórmula 1 2016/2017, aproveitando em pleno todas as capacidades do DSV-02.

A DS Virgin Racing prepara-se para electrificar o ambiente no ePrix de Paris, a 6ª prova do Campeonato FIA de Fórmula E 2016/2017, apostando tudo na alta performance que está ao alcance da equipa.

Apenas 19,1 metros – distância que corresponderá a 0,7 segundos, numa tabela de conversão elaborada a partir de uma média geral final de 98,3 km/hora – separaram Thierry Neuville (Hyundai) de Elfyn Evans (Ford) na classificação final do Rali da Argentina, há pouco mais de duas semanas. Nos 357,59 km das 18 classificativas na prova sul-americana que antecedeu o Vodafone Rally de Portugal foi evidente o elevado nível competitivo deste Mundial’2017, já que a vitória ficou decidida apenas na derradeira “especial” e pela terceira diferença (0,7 s) mais curta no historial do Campeonato do Mundo de Ralis.

Foi com uma liderança repartida que começou esta edição do Vodafone Rally de Portugal, a deixar antever luta acesa pela vitória da sexta prova do Campeonato do Mundo. Cumpridos os 3,36 km correspondentes a duas voltas à pista de Lousada, Mads Ostberg (Ford) e Thierry Neuville (Hyundai) acabaram com o mesmo registo na cronometragem eletrónica: 2m36,6s. Estes pilotos da Hyundai e da Ford relegaram, literalmente, a Citroen e a Toyota para segundo plano neste primeiro duelo, mesmo com as diferenças, como é normal neste tipo de classificativas em pista, a serem pouco significativas.

Contudo, a pontuação final não será retirada no final da prova, mas sim, após o Controle Horário TC 12A, ou por outras palavras, depois da SS12 Amarante 1. No total os concorrentes vão ter pela frente 229,08 quilómetros.

  • Entrar no ritmo do rali

Miguel Campos / António Costa iniciaram a 50ª edição do Rali de Portugal, estando para já no sétimo lugar do WRC2, sendo a melhor dupla portuguesa na prova.

Álvaro Parente continua no próximo fim-de-semana a defesa do seu título do Pirelli World Challenge no Canadian Tire Motorsport Park, um traçado que não favorece o seu McLaren 650S, mas nem por isso deixa o português menos determinado em garantir bons resultados.