user_mobilelogo

Por ocasião do Rétromobile 2018, salão que se realizará em Paris de 7 a 11 de fevereiro, a Citroën vai honrar dois dos seus modelos mais icónicos: o 2CV, apresentado em 1948, que este ano comemora os seus 70 anos, e o Mehari, lançado em 1968 e que comemora 50 anos.

Acontecimento raro, a Marca aproveita a oportunidade para expor o antecessor do 2CV: um protótipo do projeto 'TPV' (Toute Petite Voiture) de 1939.

Estes dois aniversários serão ainda assinalados através de um conjunto de trabalhos originais: dois grandes kits de montagem, compostos por diversas peças, à imagem das encontradas em caixas de miniaturas para montar para crianças. A única diferença é que a escala é aqui real (1:1), pois trata-se de peças verdadeiras de um 2CV e de um Méhari.

Por fim, a marca dá início aos preparativos para outro aniversário emblemático: o seu Centenário, que irá festejar em 2019.

Para a edição de 2018 do Salon Rétromobile, a realizar no espaço Paris Expo Porte de Versailles, de 7 a 11 de fevereiro (final de tarde reservada à imprensa na véspera - terça-feira, dia 6 de fevereiro, às 19:00), a Citroën montou o seu stand (Pavilhão 1) com um objetivo: viajar no tempo e mergulhar nas memórias de infância. Segue-se uma visita guiada...

70 ANOS DE 2CV, O MITO POPULAR

Salão de Paris de 1948. O Citroën 2CV é desvendado perante Vincent Auriol, então Presidente da República Francesa, deixando a multidão estupefacta. Se alguns gozam com a sua silhueta singular, outros vêem nele todas as qualidades que ainda hoje marcam muitos modelos: simplicidade, leveza, agilidade, conforto, versatilidade, etc.

Nos primeiros dias, o afluxo de pedidos dá razão à Marca e aos seus criadores visionários. André Lefebvre, responsável pelo gabinete de estudos da Citroën, equipou o 2CV com uma série de tecnologias engenhosas para o seu tempo: tracção às rodas da frente, suspensão suave com elevado curso, motor dois cilindros refrigerado a ar, etc.

Popular no sentido mais nobre, o Citroën 2CV torna-se num fenómeno social, um automóvel tanto para agricultores como para sacerdotes, pais de famíila e estudantes, alcançando uma carreira excecional que durou 42 anos, com mais de 5,1 milhões de unidades vendidas (incluindo as versões fourgonnettes) até 1990. Ainda hoje o 'Deuche' – alcunha por que também era conhecido em França – continua a ser um ícone da história automóvel, reunindo muitos colecionadores em redor do planeta.

TPV, o antecessor do 2CV (1939)

Arauto do 2CV, o projeto TPV – acrónimo para Toute Petite Voiture – nasceu em 1936. Tinha com objetivo tornar o automóvel num produto corrente e útil para os trabalhos do mundo agrícola, acessível às classes trabalhadoras, numa altura em que o mesmo ainda era considerado um item de luxo. Simplicidade, frugalidade e engenho deveriam, portanto, ver-se combinados, com vista a servir um propósito: “transportar 4 pessoas e 50 quilos de batatas ou um barril, a uma velocidade máxima de 60 km/h”. Resultado: o carro pesava 370 kg em vazio e custava um terço do 11 CV. Também tinha um único farol pois a legislação naquela época não obrigava a ter dois.

Em 1939, cerca de 250 modelos de pré-produção estavam prontos para o Salão Automóvel de Paris, mas este certame seriaa cancelado devido à eclosão da 2ª Guerra Mundial. Os veículos foram deliberadamente destruídos ou escondidos, tendo sobrevivido apenas 4 deles. Um é a unidade restaurada e que agora será exposta no Rétromobile; os restantes viriam a ser encontrados em 1994 num esconderijo inacessível de uma fazenda, no Centro de Testes da Citroën de Ferté-Vidame.

50 ANOS DE MÉHARI, O INCONFORMADO

Maio de 1968. Numa altura em que toda uma geração se manifesta nas ruas de Paris em luta por mais liberdade, a Citroën desvenda um modelo lúdico que nasce antes do seu tempo: o Mehari. Construído sobre uma plataforma de um Dyane 6, este atípico descapotável é quase um “objeto rolante não identificado” para circular nas estradas da época, fruto do seu visual estonteante, fresco, desinibido e despretensioso, que veio agitar os códigos tradicionais do mundo dos descapotáveis.

Simultaneamente versátil, prático e económico, o Citroën Méhari mostra-se como o aliado ideal para as escapadelas junto à costa, graças à sua engenhosa carroçaria em plástico ABS que o torna muito leve (apenas 525 kg), inatacável pela corrosão e totalmente lavável com jatos de água. Alegre e otimista graças à sua modularidade generosa e cores pop, este pequeno Citroën é, de imediato, um sucesso popular.

Símbolo de liberdade e de uma arte de vida simples e despreocupada, o Citroën Méhari torna-se rapidamente num fenómeno social. Também conhece uma grande carreira nos ecrãs, nomeadamente na popular série de TV “Le Gendarme” , com Louis de Funès, e percorre as estradas de todo o mundo, participando até no Raid-Dakar-Liège de 1969, no Raid Paris-Cabul-Paris no ano seguinte, etc. Seria produzido ao longo de quase duas décadas, até 1987, num total de 145.000 exemplares.

DUAS OBRAS ORIGINAIS PARA SUBLIMAR A NOSTALGIA DO 2CV E DO MÉHARI

Porque o 2CV e o Mehari são, frequentemente, associados às memórias de infância de toda uma geração, os aniversários destes dois ícones também se celebram através da arte. Cada um dos modelos “viu-se” ampliado, peça por peça, através de duas estruturas monumentais, com assinatura de Stéphane Gillot.

Este artista e também diretor de televisão era apaixonado por maquetes quando criança. Hoje diverte-se a fazer reviver o imaginário em torno de objetos industriais do passado, imbuídos de nostalgia, através do corte e da colocação em estruturas com a ajuda de ferreiros do mundo da arte. Assim desconstruídos e colocados nesses kits, esses objetos parecem saídos de uma caixa que contém um kit de montar de um novo modelo, pronto a ganhar nova vida. Mas enquanto os modelos tradicionais são miniaturizados e se montam a partir de peças novas, as obras de Stéphane Gillot são à escala 1:1 e compõem-se de peças verdadeiras e repletas de histórias. Seguindo este princípio, o artista levou a cabo, em outubro último, uma exposição no teatro de la Madeleine, em Paris, expondo ali 12 produtos desmontados e colocados horizontalmente, incluindo um Velosolex e um Baby-foot Bonzini.

No salão Rétromobile, a Citroën expõe a visão do artista sobre o icónico Mehari e a sua mais recente criação, o 2CV. Alegoria da infância, a exibição assim exposta e ampliada destes dois modelos torna-os verdadeiros doces visuais.

… E TAMBÉM OUTROS MODELOS PARA UMA VIAGEM NO TEMPO

Lado a lado com os dois modelos aniversariantes, a Marca mostra nesta edição toda a sua criatividade e visão de automóveis que transmitem liberdade, expondo também a sua mais recente criação: o SUV Compacto Citroën C3 Aircross. Adicionalmente, e fruto do apoio dos clubes de colecionadores Citroën, poderão ser vistos também outros modelos icónicos da Marca, numa verdadeira oportunidade para o visitante fazer uma viagem no tempo, entre as décadas de 30 e 70 do século passado.

Os modelos expostos em resumo:

Citroën C4F Large

1931

Citroën Traction Avant 11AL Cabriolet

1935

Citroën Traction Avant 11BL Coupé

1938

Citroën 2CV Type A (TPV)

1939

Citroën 2CV Spécial

1976

Citroën Méhari

1969

Citroën CX 2000 Super

1979

Citroën C3 Aircross

2018

O LOGO DO CENTENÁRIO CITROËN DESVENDADO

A Citroën aproveita o salão Rétromobile 2018 para chamar a atenção, desde já, dos muitos clubes de colecionadores Citroën para os preparativos do Centenário da Marca, evento que será comemorado ao longo de todo o ano de 2019.

Para o efeito, a Citroën desvenda o logótipo dedicado a esta operação, capitalizando sobre a marca 'Origins', criada em junho de 2016 como símbolo do Museu Virtual Citroën Origins, espaço que reúne, desde então, todas as atividades relacionadas com a história da Marca, nomeadamente através dos seus produtos derivados. Numa clara ligação à história, o logótipo incorpora os dois chevrons no interior de uma oval, tal como sucedia aquando do nascimento da marca, em 1919, com a empresa de André Citroën que se dedicava ao fabrico de engrenagens do tipo chevrons.

Tal como nos anos anteriores, os visitantes também podem contactar os representantes dos clubes de colecionadores presentes no stand, espaço que irá contemplar igualmente uma boutique de produtos.

Para além do Rétromobile, os modelos mais emblemáticos da história da Citroën podem ser encontrados no portal Citroën Origins: www.citroenorigins.com (museu virtual que conta com 61veículos, disponível em 33 países); Site nacional: http://www.citroenorigins.pt/pt-pt.

01 Citroen Retromobile 2018 2CV Mehari