user_mobilelogo
  • Escola de Aprendizes
  • Antonio, de 55 anos, e Alberto, de 20, partilham a mesma origem na Escola de Aprendizes da SEAT
  • 2.600 profissionais já passaram pelas aulas desta escola nos seus 60 anos de história
  • Este centro de formação destaca-se pela FP Dual que permite combinar as aulas teóricas com lições práticas na fábrica de Martorell

Antonio Molina era um adolescente quando pisou pela primeira vez a fábrica de Martorell. Começou a trabalhar aos 17 anos, no departamento de Qualidade e, hoje, é responsável pela linha de fabrico do SEAT Leon e gere 1.700 pessoas. No início foi aprendiz, como Alberto Martínez, que se especializou em Mecânica e que começa agora com funções no Centro de Protótipos de Desenvolvimento. Antonio e Alberto representam duas gerações com um ponto de partida comum: a Escola de Aprendizes.

- A academia da SEAT: “Voltar à Escola é como regressar às minhas origens. Comecei com apenas 13 anos”, recorda Antonio Molina durante a celebração do 60.º aniversário do centro. Este diretor, que se formou em Engenharia Técnica Industrial enquanto trabalhava para a SEAT, faz parte dos 11% de quadros superiores da empresa que passaram pela Escola de Aprendizes. Desde 1975, passaram por aqui 2.600 estudantes e praticamente todos aqueles que terminaram a sua formação foram integrados na fábrica. Alberto, que é finalista, espera seguir os mesmos passos: “Adoraria entrar na área de Desenvolvimento ou de Desenho”.

- Com um pé na fábrica: A FP Dual é, para Antonio Molina, a maior diferença entre a passagem dele e a de Alberto pelo Centro: “Há 30 anos, a componente prática limitava-se à oficina da escola, enquanto agora os estudantes podem entrar na fábrica desde o primeiro ano”. Alberto Martínez, que frequenta o terceiro ano com especialidade em Mecânica, acaba de assinar um contrato laboral de nove meses para trabalho prático no Centro de Desenvolvimento de Protótipos. “Algumas manhãs vou para as aulas; outras para a fábrica de Martorell. Estou ansioso por começar esta fase prática”, garante.

- Uma porta para o mundo do trabalho: Para Antonio, que já viu passar muitos jovens pela Escola, em resultado das 1.700 horas de trabalho prático, “quando terminam os estudos e começam a trabalhar, adaptam-se muito mais rapidamente e conhecem melhor a empresa porque se formaram aqui”.

- Do estudo sem automóveis à prática com robots: “Ainda que pareça uma contradição, em meados dos anos 70 não existia um único carro na oficina porque a nossa formação centrava-se na manutenção de instalações. Estava tudo repleto de cabos de cobre, réguas e esquadros por todo o lado”, recorda Molina enquanto percorre o Centro com Alberto. Hoje, os alunos têm acesso às novas tecnologias como mais uma ferramenta de formação. “A Escola tem evoluído de acordo com as necessidades da indústria automóvel e tem sabido adaptar-se”, conclui Molina com o seu saber de veterano.

SEAT é a única companhia no seu setor com capacidade total para desenhar, desenvolver, fabricar e comercializar automóveis em Espanha. Membro do Grupo Volkswagen, a multinacional tem a sua sede em Martorell, Barcelona, exportando mais de 81% dos seus veículos, estando presente em mais de 80 países, através de uma rede de 1.700 concessionários. Em 2016, a SEAT teve um lucro operacional de 143 milhões de euros, o valor mais elevado da história da marca, e vendeu cerca de 410.000 unidades.

O Grupo SEAT emprega 14.500 profissionais nos seus três centros de produção: Barcelona, El Prat de Llobregat e Martorell, onde fabrica, entre outros, os tão bem-sucedidos modelos Ibiza, Leon e Arona. Adicionalmente, a companhia produz o modelo Ateca e o Toledo na República Checa, o Alhambra em Portugal e o Mii na Eslováquia.

A multinacional espanhola tem um Centro Técnico que se configura um “núcleo de conhecimento” que integra cerca de 1.000 engenheiros que têm como objetivo contribuírem como força impulsionadora de inovação, do maior investidor industrial I&D em Espanha. A SEAT disponibiliza a mais recente tecnologia de conetividade na sua gama de veículos e está empenhada num processo de digitalização global da empresa para impulsionar a mobilidade do futuro.

SEAT Aprendizes001 HQ