user_mobilelogo
  • The Racing Factory volta a marcar presença no arranque do FIA ERC
  • Pedro Almeida e Hugo Magalhães competiram inseridos no ERC3 Junior
  • Juventude do Peugeot 208 Rally 4 limitou luta por melhor resultado
 
A The Racing Factory voltou a marcar presença no arranque do Campeonato da Europa de Ralis, com a participação da dupla Pedro Almeida/Hugo Magalhães no ERC3 Junior, aos comandos de um Peugeot 208 Rally 4. O fim-de-semana não correu bem para a dupla nortenha, fruto de problemas técnicos na mais recente viatura de competição da marca francesa que acabaram por limitar as possibilidades de um melhor resultado. Ainda assim este não deixou de ser um fim-de-semana produtivo em termos de evolução e conhecimento desta nova competição.
 
Logo no primeiro dia de prova, no decorrer das primeiras duas especiais, uma fuga no depósito de combustível ditou o abandono de Pedro Almeida da prova italiana, devido à toxicidade dos vapores da gasolina. A dupla regressaria em Rally 2 no segundo dia de competição, já com o problema resolvido, contudo, apesar do esforço e do ritmo imposto, problemas eléctricos acabaram por atrasar o piloto em algumas especiais. Ainda assim, e demonstrando um espírito combativo, o piloto de Famalicão não desistiu e terminou a prova de abertura do Europeu, somando mais quilómetros aos comandos do novo 208 Rally 4.
Para Justino Reis, Team Manager da equipa de Santa Maria da Feira, o destaque deve ser dado ao esforço feito por todos os elementos da The Racing Factory, onde estão incluídos o piloto e o navegador, não só para concluir a prova mas também para marcar presença nesta ronda inaugural do ERC. “Acima de tudo temos de valorizar o esforço feito pelo Pedro Almeida e Hugo Magalhães, bem como de toda a equipa da The Racing Factory, que assumiram a responsabilidade de participar numa prova como Rali de Roma Capitale, com uma viatura completamente nova recebida dias antes do início do rali. Naturalmente, o pouco tempo que tivemos com esta unidade acabou por revelar problemas de maturidade do carro, situações essas acompanhadas sempre de perto pela Peugeot Sport. Os problemas sentidos no Peugeot 208 Rally 4 não tiram o mérito ao ritmo imposto pelo Pedro Almeida que, nas especiais em que o carro esteve a 100%, demonstrou um ritmo muito interessante para uma primeira experiência internacional”, começou por dizer Justino Reis antes de destacar que “este tipo de ralis são muito importantes para a The Racing Factory, uma vez que a filosofia da equipa passa por estar nos melhores campeonatos e apoiar a participação deste tipo de projetos jovens. Naturalmente destacar que a equipa volta a estar presente no arranque do Campeonato da Europa de Ralis, apesar do calendário atual de provas que obriga a trabalhos redobrados de planeamento e organização da equipa e de todos os seus elementos que respondem positivamente a todos os desafios.”
 
Para Pedro Almeida, “os indicadores dão-nos a certeza que estamos a melhorar o ritmo e nesse sentido a evoluir positivamente, mas mesmo assim ainda a um passo de estar no que queremos. Neste Europeu estão pilotos com mais experiência que nós e é exigindo de nós, para estar ao ritmo que impõem, que vamos conseguir conquistar as nossas metas. Esta semana de Europeu deu-nos perspetivas nesse sentido.”
 
O próximo desafio da The Racing Factory é o Rali Vinho da Madeira de 6 a 8 de Agosto, prova pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis.
Factory