user_mobilelogo

Armando Carvalho (Mitsubishi Lancer Evo V), Luís Mota (Mitsubishi Lancer Evo VI) triunfaram o Rali da Bairrada no Centro de Ralis e Portugal de Clássicos, respectivamente, com André Cabeças (Citroën DS3 R5) a ser o mais rápido em termos absolutos e vencedor X5.

A prova de abertura do Campeonato Centro de Ralis foi totalmente dominada pela dupla formada por Armando Carvalho e Ana Santos que, ao volante de um Mitsubishi Lancer Evo V, foi “cavando” paulatinamente um fosso para a concorrência e que lhe permitiu, a determinada altura, dosear o andamento para não correr riscos desnecessários.

O piloto de Vila Nova de Poiares, que também logrou o triunfo nos desafios Kumho Centro e Kumho Asfalto, começou por ser o mais rápido na Vagos Street Stage Travocar, super-especial nocturna que emoldurou milhares de pessoas ao longo dos seus 2,47 km. A partir daí nunca mais largou as operações de comando, terminando a prova com o tempo total de 33m09,5s, deixando para trás um rasto de excelência, com a luta pela segunda posição ao rubro mas que, no final, foi conquistada por Rui Santos Silva e João Sebastião, em Subaru Impreza STi N15, a 1m11s.

Ao longo de toda a prova, esteve electrizante a luta pelos lugares de pódio, com a incerteza a criar uma enorme expectativa dada as forças em presença. Se as duas posições ficaram entregues à Domingos Sport, a formação do Oeste não perdeu o Norte e coadjuvou que outras duas dominassem os lugares cimeiros, com os goienses Paulo Barata e Joaquim Alvarinhas (Mitsubishi Lancer Evo IX) e os lusenses Raul Aguiar e Pedro Pereira (Mitsubishi Lancer Evo VIII) a concluir na terceira e quarta posição, a 1m16,3s e 1m51,3s dos vencedores, respectivamente.

A encerrar o “top five” da prova do Clube Automóvel do Centro desenrolada no concelho de Vagos ficou José Gomes e Pedro Vaz, em Peugeot 208 VTI, vencedor das duas rodas motrizes, a 2m27,8s de Armando Carvalho e Ana Santos. Já Fábio Santos e Ricardo Sismeiro, em Citroën Saxo, terminaram na sexta posição, a 2m46,0s do topo da classificação, com Pedro Silva e Nuno Rodrigues da Silva (Peugeot 206 GTi) no sétimo posto, a 2m59,4s, à frente de Filipe Abrantes e Marco Vilas Boas (Citroën C2 R2), a 3,29,5s.

Os conimbricenses Paulo Correia e Tiago Amado, em Renault Twingo R2, cotaram-se os nonos mais rápidos, a 3m53,4s dos vencedores, com Hélder Cordeiro e Bruno Pereira, em Ford Escort MKII a encerrar o top-10, a 4m30,32s.

Uma palavra de estímulo para Rodrigo Correia que, com apenas 16 anos de idade, virou mais uma página na sua jovial carreira. Ao cabo de 10 anos de caminhada nos desportos motorizados, o jovem piloto do Reigoso, de Oliveira de Frades, teve uma estreia auspiciosa no Rali da Bairrada, prova inaugural do Campeonato Centro da especialidade, concluindo-o no 14.º lugar no contexto global e terceiro na categoria P2.

Luís Mota vence Clássicos no seu 300.º rali da carreira

Nos Clássicos, Luís Mota e Alexandre Ramos, em Mitsubishi Lancer Evo VI, da Domingos Sport, foram os grandes vencedores do Rali da Bairrada. Fruto da consistência imposta, o piloto do Cartaxo começou por dominar Vagos Street Stage Travocar e prosseguiu a caminhada triunfante até à primeira passagem pela especial ZIV, altura em que Nuno Mateus e Paulo Pimentel (Mitsubishi Lancer Evo IV) passaram para a frente – dupla que na primeira abordagem por super-especial tinha sido a mais rápida mas, na segunda, viu a transmissão ceder.

No entanto, o piloto de Vagos, que foi ganhando tempo nas duas especiais seguintes, foi travado pelo cabo do acelerador na terceira passagem pela especial Rota dos Moinhos, caindo vertiginosamente na tabela classificativa.

Indiferente a tudo isto estava Luís Mota que em Vagos assinalou o seu 300.º rali da carreira, com a Promolafões a obsequiá-lo com um troféu a marcar a efeméride, bem como uma vitória sem contestação, com o tempo total de 34m09,7s. Depois de muito porfiar e sem nunca baixar os braços, a dupla da Peres Competições, Filipe Madureira e Emanuel Gonçalves, em Ford Sierra Cosworth, ocupou a segunda posição, a 3m41,4s dos líderes. Já Vasco Emílio e João Jardim Pereira, em Ford Escort RS 2000, ocuparam o lugar mais baixo do pódio, a 3m49,6s, à frente de Cipriano Antunes e Fernando Almeida (Audi Quattro), a 5m38,2s, relegando para a quinta posição Paulo Leite e João Santiago (VW Golf GTi) a 6m050s.

Nas posições seguintes terminaram Nuno Mateus e Paulo Pimentel (Mitsubishi Lancer Evo IV), Vítor Calisto e António Cirne (Ford Escort MKI) e António Joaquim Pereira e Ulisses Martins (Fiat Cinquecento), a 6m15,0s, 7m38,5s e 9m56,7s, no 6.º, 7.º e 8.º lugar, respectivamente.

André Cabeças o mais rápido e vencedor X5

Refira-se que o Rali da Bairrada teve em André Cabeças e Bino Santos, ao volante de um Citroën DS3 R5, a dupla mais rápida, com o tempo total de 32m23,7s. Trata-se de uma formação que evidenciou o seu andamento de fio a pavio na prova do Clube Automóvel do Centro e que venceu a categoria X5, precisamente na viatura em que o piloto irá alinhar no Campeonato de Portugal de Ralis.

Menos feliz foi Paulo Carvalheiro e Miguel Sintra, em Porsche 911 GT3 CUP (991), que não chegou ao fim na segunda passagem por Rota dos Moinhos por avaria.

 S9A8280 min