user_mobilelogo

Raul Aguiar e André Oliveira são os pilotos que alinham na prova do Clube Automóvel do Marinha Grande, quinta prova do Campeonato Portugal de Ralis com as cores Art of Speed.

Para a primeira prova em pisos de asfalto para o Campeonato Portugal de Ralis, Art of Speed inscreveu duas viaturas no Rali Vidreiro – Centro de Portugal Marinha Grande. Raul Aguiar e Pedro Pereira (Mitsubishi Lancer Evo VI) e André Oliveira e Ricardo Bettencourt (Toyota Yaris) são as duplas que vão integrar a concorrida lista de inscritos na prova do Clube Automóvel da Marinha Grande.

Hoje (sexta-feira) e amanhã, as estradas asfaltadas dos concelhos da Marinha Grande e Pombal oferecem um enorme prazer de condução, com o seu revestimento a convidar muito espectáculo, permitindo trajectórias emotivas. Desde há vários anos que o Rali Vidreiro representa a singularidade, ao propor um percurso que leva pilotos e máquinas a locais seculares, como o Pinhal de Leiria – muito dizimado devido aos incêndios de 15 de Outubro.
Uma ementa de emotividade que permite alimentar uma forma suplementar de incerteza e os espectadores, sempre numerosos na prova marinhense, podem aproveitar para assistir a um rali fortemente condimentado.
Para as equipas, o desafio consiste na rápida adaptação às condições para se manterem entre os mais rápidos. Arte of Speed, conforme já foi avançado, apresenta-se à partida com duas viaturas.
Para Raul Aguiar, trata-se de um rali à parte, sobretudo depois da onda de azar a que esteve envolto no Rali Medieval Vila de Ourém e Rali de Mortágua, o primeiro em pisos de asfalto, a contar para o Campeonato Centro de Ralis e, o segundo, em pisos de terra, pontuável para o Campeonato Portugal de Ralis.
Em ambos os casos, o piloto apoiado pelo município de Mortágua e navegado por Pedro Pereia não percorreu muitos quilómetros, mas o passado já não faz parte do presente e, por isso, o futuro passa por inaugurar o seu pecúlio de pontos no Campeonato Centro de Ralis. Esta será, por isso, uma participação encarada com alguma expectativa de Raul Aguiar e Pedro Pereira aos comandos de um Mitsubishi Lancer Evo VI assistido por Art of Speed.
Já André Oliveira, e apesar de ser o segundo rali da sua carreira, os índices de confiança do piloto de Leiria apresentam-se um pouco acima da média mas completamente estabilizados. A “acelerar” praticamente em “casa”, o leiriense não tem na experiência um grande trunfo, mas tem na serenidade um “Ás” de outro naipe para exibir, já que o seu objectivo passa por encontrar um bom ritmo, progredir e preparar novos compromissos futuramente.
Depois da excelente exibição no Rali Medieval Vila de Ourém, André Oliveira, que partilha o Toyota Yaris preparado e assistido por Art of Speed com o navegador Ricardo Bettencourt, tem no “pacto de honra” a sua “arma”. Ou seja, não cometer erros desnecessários, mas nunca deixar de ser competitivo no asfalto, sobretudo numa prova bastante complicada de gerir.

S. Pedro de Moel por duas vezes e superespecial para hoje

A prova tem início pelas 17h00 de hoje, sexta-feira (dia 8 de Junho), e contará com duas passagens pelas novas especiais de S. Pedro de Moel (17h00 e 19h15), que terá início junto ao Parque de Campismo da Orbitur, seguindo pelo interior do Pinhal de Leiria. Mais tarde, os pilotos dão espectáculo a milhares de pessoas nas principais artérias da “capital do vidro” com a já mítica superespecial citadina da Marinha Grande (21h05).
Amanhã, o rali recebe mais uma das novidades introduzidas pela organização. Logo pelas 8h40 as primeiras viaturas deixam a Parque de Assistência, junto ao Estádio Municipal da Marinha Grande, com destino à primeira de três passagens pela especial “Pinhal do Rei” (9h40, 12h40 e 16h45). O nome da especial foi a forma que a organização encontrou para homenagear o Pinhal mandado plantar por D. Dinis, no século XXIII.
À semelhança do ano passado, a prova desloca-se depois para norte, para o concelho de Pombal, onde se realizam as especiais de Mata Mourisca (10h45 e 14h50) e Assanhas da Paz (11h25 e 15h30). Duas etapas com um total de 461.18km de extensão, 110.20km dos quais ao cronómetro, que vão trazer cor e vida à zona por muitos considerada como o “pulmão” de Portugal.
Com o sucesso que foi a regresso da cerimónia de entrega dos prémios a São Pedro de Moel em 2017, a organização mantém a aposta que permitirá ao público e jornalistas a possibilidade de confraternizar com os pilotos antes e depois da entrega dos prémios.

34862103 261905234378178 7752678232867995648 n