user_mobilelogo

Álvaro Parente protagonizou uma estreia notável nas míticas 24 Horas de Daytona, a primeira ronda da Taça Norte Americana de Endurance, ao terminar no segundo posto, depois de ter estado envolvido na luta pela vitória ao longo de toda a prova.

O português esteve ao seu habitual elevado nível no circuito de 5,730 quilómetros e treze curvas, tendo qualificado o Acura NSX da Michael Shank Racing que dividiu com Katherine Legge, Trent Hindman e A.J. Allmendinger no sexto posto.

Ao longo da corrida, com a ajuda dos seus colegas de equipa, Álvaro Parente esteve envolvido na luta pela vitória, chegando a liderar a classificação entre os GTD por diversas vezes. No entanto, numa corrida em que as situações de Safety-Car foram pouquíssimas, apenas quatro, a Katherine Legge foi atirada para fora de pista por uma manobra menos cuidada de um piloto de um protótipo, o que atrasou o quarteto do carro #86 em mais de dez segundos.

Apesar da contrariedade, o português e os seus colegas de equipa conseguiram lutar até ao fim da prova de vinte e quatro anos, terminando no segundo posto a dezasseis segundos do vencedor da classe. “É um grande resultado, dado que tivemos uma corrida difícil. Sabíamos que a velocidade de ponta não era o nosso forte, portanto, sabe ainda melhor. Tivemos algumas contrariedades ao longo da prova, mas nunca desistimos e demos sempre o nosso melhor e este segundo lugar é uma recompensa merecida”, afirmou Álvaro Parente.

Para além da corrida em si, o piloto do Porto demonstra-se bastante entusiasmado com a sua estreia em Daytona. “Foi um evento fantástico realizado num circuito diferente ao que estou habituado, com curvas em banking, que foi uma novidade para mim, tendo sido uma experiência fantástica. A Michael Shank Racing é uma equipa extraordinária e tenho que dar os parabéns aos engenheiros, Ryan (McCarthy), Mike (Shank), Vince (Forges) e todos os mecânicos por nunca terem desistido e terem acreditado sempre que poderíamos ter um bom resultado. A Katherine, o Trent e o A.J. estiveram irrepreensíveis ao longo da prova, o que foi determinante para este segundo lugar”, concluiu o português.

Depois das 24 Horas de Daytona, Álvaro Parente viaja já para a Austrália, onde na próxima semana disputará as exigentes 12 Horas de Bathurst.

Foto: Brian Cleary

AParente FR 18006a