user_mobilelogo

Tudo estava a correr dentro do esperado, na Taça de Portugal de Ralicros, para o lousadense, Joaquim Machado, Saiu da segunda linha da grelha, na final, mas de imediato passou para o terceiro lugar, muito próximo dos primeiros.

Era a Taça de Portugal, que se disputa numa só jornada e tudo estava em aberto, pois todos teriam que passar pela Joker lap. E seria aí, que muito poderia ser definido.

Mas as esperanças terminarima pouco depois. Na zona mais rápida do circuito, a reta antes da curva da última curva do circuito, Joaquim Machado foi, literalmente, abalroado, por um piloto que o procedia. Foi empurrado por muitos metros, até que ficou completamente virado ao contrário. E, naturalmente, sem hipóteses de lutar pelo pódio, pois passou de terceiro, para último. E com muito atraso face aos restantes. Foi um acidente provocado, que motivou uma enorme vaia, por parte de público.

Terminada a final, o piloto prevaricador, viria a ser desqualificado. Mas, a corrida de Joaquim Machado, já estava completamente estragada.

“São uma vergonha situações como esta, em que não há respeito pelos adversário, nem pelo sua integridade física, pois podem-se criar acidentes graves. Desta vez, o Colégio de Comissários Desportivos, desqualificou o piloto em causa, mas o mal já estava feito. Quero referir que é sempre o mesmo piloto e que, se em provas anteriores já tivesse sido admoestado, na da disto aconteceria. É pena que não vejam, ou não queiram ver, e que assim se estrague uma modalidade tão bonita”, referiu Joaquim Machado, depois de terminada a corrida.

Fez um intervalo e Machado concluiu. “Quero agradecer á minha equipa, a Kaxa & Motor, e a todos os que me apoiam nestas duas épocas, mas vou ponderar o futuro. Se nada for feito, pela federação, para acabar com estas situações, seguramente que não continuarei nesta modalidade.

j machado