user_mobilelogo
  • Hugo Hernandez vence as duas corridas do fim-de-semana
  • Miguel Matos recupera liderança na classe Zetec
  • Duarte Carvalho conserva primeira posição da “Rookies Cup”

O piloto espanhol Hugo Hernandez, ao volante de um monolugar D&D F01 de produção nacional, venceu à geral as duas corridas da Fórmula Ford Portugal que fizeram parte do programa da edição 2017 do Algarve Classic Festival. Por sua vez, Miguel Matos consolidou a liderança na categoria Zetec.

Na manhã de domingo, Matos arrancou da primeira posição para a sétima corrida da temporada e aparentava ter a corrida controlada no topo da classificação, no entanto, a entrada do Safety-Car nos últimos momentos da corrida acabou por prejudicar o piloto nortenho.

Motivado pela vitória obtida em Jerez de la Frontera, Hugo Hernandez partiu do quinto posto, mas ao fim de duas voltas o decidido piloto madrileno já rodava no segundo lugar. Em condições normais, o D&D F01 parecia não ter nem tempo, nem andamento, para lançar um ataque à primeira posição do Mygale SJ04 do Team Rectificadora de Guimarães.

Contudo, quando a corrida caminhava para o seu término, a entrada do Safety-Car agrupou o pelotão, retirando-se da pista a tempo de uma derradeira volta em bandeiras verdes, dando uma hipótese ao jovem piloto espanhol para este atacar o primeiro lugar. Hernandez não desperdiçou a oportunidade, suplantando Matos nos metros finais da corrida.

Apesar de ter deixado escapar a vitória à geral, Matos venceu a classe Zetec, a mais relevante da única competição de monolugares existente em Portugal, e aproveitou o quarto lugar de Duarte Pires, terceiro dos Zetec, para recuperar a primeira posição no campeonato.

Duarte Carvalho foi o terceiro classificado da geral, mantendo intacta a liderança na “Rookies Cup”. Na segunda metade do pelotão português, Vasco Ferreira levou a melhor sobre Rui Silva, Vasco Sampaio e Rosário Sottomayor.

A fechar o preenchido programa de corridas no Autódromo Internacional do Algarve realizou-se a segunda corrida da Fórmula Ford Portugal. Hernandez arrancou desta vez do primeiro lugar, mas Matos conseguiu assumir a primeira posição ainda no decorrer da volta de abertura. Os dois pilotos rodaram sempre muito próximos, até que à quarta volta, o piloto espanhol ultrapassou o seu adversário, recuperando a primeira posição que não mais iria largar.

A diferença entre os dois primeiros nunca foi claramente superior a um segundo, tendo Matos obrigado o seu rival a não baixar o andamento e a não cometer erros durante as dez voltas ao traçado de Portimão. Sob pressão, Hernandez ainda fez a melhor volta da corrida na última volta, obtendo a sua terceira vitória à geral e sétima na classe Super Tuga esta temporada.

Duarte Carvalho foi o terceiro a cortar a linha de meta, a cinco segundos dos dois primeiros. O piloto da CRM Motorsport ultrapassou Duarte Pires ainda na primeira volta e acabou por ver o piloto da G-Tech abandonar à quinta volta, momentos depois de ter efectuado a melhor volta da corrida até à altura. Com este resultado, o piloto madeirense conservou a primeira posição na classificação da “Rookis Cup”.

Diogo Sousa terminou no quarto lugar da geral, alcançando o pódio na classe Zetec, um resultado merecido para quem fez uma corrida de recuperação notável desde as últimas posições da grelha de partida.

Vasco Ferreira, o melhor dos pilotos que tripulam monolugares da marca Van Diemen, cortou a linha de meta no quinto lugar, à frente de Rui Silva, Vítor Sampaio, Rosário Sottomayor e André Castro Pinheiro.

Os concorrentes estrangeiros acabaram por não ter andamento para acompanhar os mais rápidos pilotos portugueses, sendo que apenas os mais fortes dos Fórmula 3 de motor 1000cc do final dos anos 1960 presentes nesta prova conseguiram entrar nos dez primeiros.

Diogo Ferrão, o responsável máximo da Race Ready, a entidade organizadora do campeonato, salienta que “para se ser campeão do campeonato, não basta ser rápido, é preciso ser consistente. E isso está a ser demonstrado pelo Miguel Matos que agora está em posição privilegiada quando falta apenas uma prova por disputar. Contudo, até ao cair do pano tudo pode acontecer. Ninguém está imune a azares e vamos para a última prova da temporada com os principais títulos por decidir.”

O pano cai na temporada de 2017 da Fórmula Ford Portugal dentro de duas semanas no Autódromo do Estoril, com a quinta jornada do ano a fazer parte do Estoril Racing Festival.

AFC FF Hugo Hernandez