user_mobilelogo
  • A concretização do regresso da PEUGEOT às provas de resistência. 

Após ter desvendado os primeiros esboços do seu Hypercar e as características da sua mecânica LMH, a PEUGEOT Sport ultrapassa um terceiro marco ao anunciar a lista dos 7 pilotos que irão defender as suas cores no Campeonato do Mundo FIA de Endurance (FIA WEC) e nas 24 Horas de Le Mans.

 

Ao longo das suas carreiras, estes 7 pilotos partilharam momentos intensos, tanto no mundo da Fórmula 1 como no das provas de resistência. Foram companheiros de equipa e adversários, mas também cúmplices nas suas vidas diárias e na sua preparação desportiva.

A endurance é uma disciplina implacável onde o fator humano é predominante. É essencial ter um espírito de equipa sem falhas para se poder completar uma corrida, antes mesmo de se considerar alcançar uma vitória. A partir deste ano de 2021, a formação de 6 pilotos titulares e de 1 piloto de reserva/simulador irá contribuir para o desenvolvimento do Hypercar, bem como para as diversas etapas de construção do programa, com as equipas da PEUGEOT SPORT.

“É essencial existir um vínculo entre todos os protagonistas do projeto”, insiste Jean-Marc Finot, Diretor do Programa. “Para além da performance, colocámos, aquando dos nossos critérios de seleção e durante as entrevistas que realizámos, muita ênfase nos vínculos entre cada um, no seu estado de espírito – na sua capacidade de trabalhar em conjunto, de união, de estímulo e na capacidade de puxar pela equipa. Esse fator humano é essencial nas provas de ‘endurance’. Também foi essencial que nos demonstrassem as suas motivações, ao assumir este compromisso como uma prioridade e não apenas como uma simples etapa nas suas carreiras.”

Para serem selecionados e escolhidos, estes 7 pilotos foram sobretudo avaliados por critérios de desempenho em eventos do WEC, mas também das categorias ELMS e IMSA. “Olhámos para todos os campeonatos de resistência dos últimos 5 anos”, comentou Olivier Jansonnie, Diretor Técnico da PEUGEOT SPORT. “O resultado ‘bruto’ em corrida não foi o elemento essencial, sendo que também estudámos a velocidade, a consistência e fiabilidade de um grande número de condutores. Queríamos uma composição que se complementasse e que fosse eclética, misturando jovens talentos e pilotos experientes, mas também pilotos conhecidos pelas suas qualidades de desenvolvimento, em especial na vertente da hibridização.”

Complementando os respetivos compromissos que têm em diversos campeonatos este ano, os 7 pilotos oficiais da PEUGEOT irão contribuir, diariamente, para a evolução do projeto, com vista à realização de uma primeira sessão de treinos no final de 2021.

Os 7 pilotos eleitos são:

  • Loïc Duval, França (38 anos)
    • Vencedor do FIA WEC & das 24 Horas de Le Mans / Campeão de Fórmula Nippon & Campus
  • Kevin Magnussen, Dinamarca (28 anos)
    • 118 partidas na Fórmula 1 / Campeão de Fórmula Ford & Renault 3.5
  • Jean-Eric Vergne, França (30 anos)
    • 58 partidas na Fórmula 1 / 2 títulos de Fórmula E / Campeão de Fórmula 3 & Campus
  • Paul di Resta, Escócia (34 anos)
    • 59 partidas na Fórmula 1 / Vencedor das 24 Horas de Le Mans, categoria LMP2 / Campeão da Fórmula 3 Euroseries / Campeão do DTM
  • Mikkel Jensen, Dinamarca (26 anos)
    • Campeão do ADAC Formule Masters / Campeão do ELMS, categoria LMP3
  • Gustavo Menezes, EUA (26 anos)
    • Vencedor do FIA WEC e das 24 Horas de Le Mans, categoria LMP2
  • James Rossiter, Inglaterra (37 anos)
    • Piloto de reserva / simulador; experiência em monolugares (Super Fórmula), em endurance (Super GT & LMP2) & piloto de testes e de reserva na Fórmula 1

LÖIC DUVAL

O que é que o motivou a juntar-se à PEUGEOT neste regresso à endurance?

Desde 2008, quando corri em Le Mans pela primeira vez, tornei-me num grande adepto desta corrida e da endurance. Tive a oportunidade de guiar um PEUGEOT em Le Mans em 2010 e 2011. Quando ouvi a notícia do regresso da PEUGEOT sabia que era algo que gostaria de fazer com este construtor.

Ao longo da sua carreira, que momento mais curioso partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Quem conheço melhor é o Jean-Éric Vergne. Lembro-me de quando ele ainda estava na F1 e morava na Suíça. Ele costumava vir a minha casa, pelo que passámos muito tempo juntos. Treinávamos durante o inverno em Chamonix. Agora que corre na Fórmula E, os meus filhos gritam o seu nome quando o veem na televisão.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

Representa tudo para mim. Sempre fui um grande adepto de desportos em equipa. Nos monolugares nunca se sente que podemos partilhar algo com os companheiros de equipa. Já nas provas de resistência preenche-se todas as caixas do que se espera do automobilismo: atmosfera, emoção e espírito de equipa. Le Mans é uma prova incrível, icónica e implacável.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

O Santo Graal! No automobilismo há algumas provas que todos conhecem: o GP do Mónaco de F1, a Indy 500, mas Le Mans é o pináculo. Talvez porque eu seja francês! O desafio colocado às viaturas e às equipas para alcançarem velocidades tão elevadas, com tanta fiabilidade, é incrível! Conduzir de noite e de dia é qualquer coisa de extraordinário.

Na história da competição da PEUGEOT, qual foi o momento que mais o marcou?

Devo dizer que pode não ser o mais positivo, mas recordo a minha participação em Le Mans com o 908 em 2010. Duas horas antes do final da corrida, os meus companheiros de equipa e eu estávamos prestes a alcançar o nosso primeiro pódio, mas infelizmente houve uma avaria técnica. Isso realmente partiu o meu coração e foi muito difícil de digerir. Por outro lado, é aqui que tudo começa. Juntos, temos assuntos para resolver com Le Mans, tendo chegado a hora de ganhar esta corrida!

Que modelo PEUGEOT de competição sonha poder conduzir?

O 905 é um carro magnífico, pelo que adoraria testá-lo no circuito de Le Mans. Sou um grande fã de eventos históricos como o Le Mans Classic.

Qual é o seu prato favorito?

É Blanquette de Vitela, mas apenas a da minha mãe!

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Uma salada de tomate/mozzarella com um pouco de massa e salmão, seguida de uma salada de frutas. Mas apenas numa pequena porção!

Qual é a sua principal qualidade?

Interrogo-me sempre. Quando faço alguma coisa, analiso como poderei executá-la ainda melhor.

KEVIN MAGNUSSEN

O que é que o motivou a integrar a PEUGEOT neste regresso à endurance?

Não acho que seja difícil ficar motivado. A PEUGEOT tem um grande historial em Le Mans. A minha ambição é ter sucesso e vencer. A decisão de integrar a PEUGEOT não foi difícil de tomar, dado os sucessos alcançados no passado, não só em Le Mans, como também no automobilismo em geral.

Ao longo da sua carreira, que momento mais engraçado partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Nunca tive a oportunidade de trabalhar com deles. Claro que os conheço a todos e fiquei muito feliz em ver a composição da equipa. São todos incrivelmente talentosos, pelo que estou certo de que faremos um bom trabalho em conjunto. Corri com o Jean-Eric na Fórmula 1, mas não o conhecia bem até agora. Mal posso esperar para conhecê-los melhor a todos.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

O meu pai correu de Le Mans durante mais de 20 anos. Acompanhei sempre as corridas e já lá estive várias vezes. Era um dos meus sonhos participar nesta prova um dia e não poderia pensar numa maneira melhor de o fazer do que com a PEUGEOT.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

Quero ganhar Le Mans, é o meu objetivo e a minha ambição.

Na história da competição da PEUGEOT, qual foi o momento que mais o marcou?

É difícil escolher entre as vitórias da PEUGEOT nas 24 Horas de Le Mans. Acho que cada uma delas ilustra o sucesso da PEUGEOT e as capacidades da equipa. Espero poder contribuir com nova vitória para essa lista.

Que modelo PEUGEOT de competição sonha poder conduzir?

O 905. Adoraria poder estar ao volante de um carro como esse, sentir as vibrações e a sua sonoridade.

Qual é o seu prato favorito?

Adoro comida indiana, como o frango tikka masala.

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Decerto que frango tikka masala está fora de questão! Gosto de variar: frango ou salmão ou outros peixes, legumes e massas diversas ou batatas, para obter as calorias necessárias para uma boa energia.

Qual é a sua principal qualidade?

Não gosto muito de falar sobre as minhas qualidades; prefiro ser humilde e demonstrar o que eu posso fazer em pista, mais do que falar sobre o tema.

JEAN-ERIC VERGNE

O que é que o motivou a integrar a PEUGEOT neste regresso à endurance?

A história de vitórias da PEUGEOT em Le Mans e, obviamente, também a nossa equipa que tem como objetivo a vitória. A equipa irá apoiar os restantes 6 pilotos e conta com um carro muito bom, o mais importante quando se corre em Le Mans. Junto com a PEUGEOT, acho que isso irá tornar-se realidade. Mas também o facto de eu ser francês. É uma sensação bastante mágica que a PEUGEOT, como construtor francês, e eu, um piloto francês, estejamos empenhados em Le Mans.

Ao longo da sua carreira, que momento mais engraçado partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Conheço alguns deles muito bem. O Loïc, claro, um amigo de longa data, ou o Mikkel, meu companheiro de equipa nas provas de resistência do ano passado, com quem partilhei grandes momentos. Estivemos, há já um bom tempo, com o Kevin na Fórmula 1, assim como o Paul. Ele ficou muito zangado comigo durante uma corrida em Monza, em 2014, porque eu não o deixei ultrapassar. Veio ter comigo depois da corrida e não estava nada contente. Da primeira vez que conheci o Gustavo, andámos nas compras juntos em Tóquio. Temos um grupo de amigos em comum.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

Sempre soube que queria correr nas 24 Horas de Le Mans. A primeira vez que conduzi um monolugar foi em Le Mans, na Fórmula Campus. Lembro-me de estar frente à enorme tribuna e sentir-me tão pequenino. Quando estive na Filière, um pouco mais tarde, fui apenas assistir. Lembro-me de ficar surpreendida por dizer: "Quero ganhar esta corrida um dia." São, também, momentos incríveis que se partilham com a equipa. Normalmente, nos monolugares, lutamos contra os nossos companheiros de equipa e com os restantes pilotos. Já as provas de endurance aproximam os pilotos ao longo da temporada ou mesmo durante toda a nossa carreira... e quem sabe onde estaremos daqui a 10 anos. Mas teremos partilhado uma enorme aventura e essa experiência une as pessoas para sempre.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

Quero ganhá-las muitas vezes.

Na história da competição PEUGEOT, qual é o momento que mais o marcou?

Sempre que a PEUGEOT venceu em Le Mans!

Que modelo PEUGEOT de competição sonha poder conduzir?

Não vejo a hora de conduzir o nosso Hypercar!

Qual é o seu prato favorito?

O Fondue da Savoia, mesmo que só o coma uma vez por ano.

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Massas.

Qual é a sua principal qualidade?

Nunca desisto, sou duro como o ferro.

PAUL DI RESTA

O que é que o motivou a integrar a PEUGEOT neste regresso à endurance?

Foi, de facto, a história e o profissionalismo de toda esta gente durante a sua última participação em Le Mans. Estar envolvido e juntar-me à equipa no nascimento do projeto é realmente emocionante. Há 3 anos, quando comecei nos LMP2, apanhei o bichinho da endurance.

Ao longo da sua carreira, que momento mais engraçado partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Ainda não estive muito tempo com os meus companheiros de equipa. Conheço o JEV, já que fomos, em tempos, inimigos na F1! Quem conheço melhor é o Mikkel, com quem fazia treino físico quando ele estava na equipa júnior e eu no DTM.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

O trabalho de equipa, que está sempre a ser posto à prova. Quando se olha para a corrida, vemos, de facto, as 24 horas, mas o que não se vê são as semanas de trabalho que as antecederam. Todos aceitam esse desafio ao longo de meses ou até anos. Acho que os pilotos têm a parte mais fácil, já que podem dormitar um bocado entre os dois períodos de condução.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

A melhor corrida do mundo! Venci-a no ano passado em LMP2 e senti as emoções da vitória. Alcançámos a pole-position e gerimos a prova. Mal posso esperar para ver toda aquela multidão de novo e partilhar essa experiência com todos.

Na história da competição PEUGEOT, qual é o momento que mais o marcou?

A última participação da PEUGEOT em Le Mans, numa altura em que eu estava a começar a minha carreira nos monolugares. Sou muito amigo do Alex Wurz, na altura piloto da PEUGEOT, que me disse ser uma equipa incrível, com viaturas ícones.

Que modelo PEUGEOT de competição sonha poder conduzir?

Sem hesitar, o 908! Quando no ano passado assisti à volta de demonstração em Le Mans, disse a mim próprio que ficaria feliz por poder fazer uma volta à pista.

Qual é o seu prato favorito?

Pizza, decerto uma parte de Itália que há em mim.

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Frango com massa, um molho de tomate ligeiro, um pouco de parmesão e um pouco de pimenta mais forte. A alimentação é um elemento-chave para Le Mans.

Qual é a sua principal qualidade?

A minha melhor qualidade é ser capaz de acreditar em mim mesmo. Sempre fui guiado pelo meu pai, que me dizia: “A tua palavra, o teu compromisso. Uma vez comprometido, não importa se é certo ou errado, há que seguir em frente”. Esse é um ditado da vida que eu persigo.

MIKKEL JENSEN

O que é que o motivou a integrar a PEUGEOT neste regresso à endurance?

O projeto Hypercar é muito interessante e desafiante. Estão inscritos muitos construtores. A PEUGEOT tem um grande historial e já venceu em Le Mans. Estou muito feliz por fazer parte desta aventura e mal posso esperar por que tudo comece.

Ao longo da sua carreira, que momento mais engraçado partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Com o Jean-Eric, quando fomos companheiros de equipa, em que nunca havia pressão e sempre tivemos bons momentos. Ele diz piadas o tempo todo. Foi uma grande experiência a minha primeira vez em Le Mans. Conheci o Paul no centro de treinos, ele estava na DTM e eu na F3 júnior. O treinador militar disse-nos para fazer flexões e abdominais, repetindo-as 2.000 vezes! Levámos 2 horas... Alguns pilotos até ficaram doentes. Já com o Paul, apoiámo-nos sempre. Esta é provavelmente uma das coisas mais difíceis que fiz na minha vida, mas sei que o Paul é um companheiro de equipa motivador.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

Acho que é o que melhor há no mundo do desporto automóvel. As 24 Horas de Le Mans são “A” corrida. Todos os pilotos querem-na no seu palmarés. Não é segredo que, na Dinamarca, o Tom Kristensen tornou esta prova muito popular. É a única corrida, incluindo a F1, que tem transmissão no canal nacional, nos telejornais.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

Eu diria trabalho de equipa, paixão e envolvimento porque é isso que é necessário para vencer.

Na história da competição PEUGEOT, qual é o momento que mais o marcou?

Tenho apenas 26 anos. Mas a vitória do 908 em Le Mans é a que mais recordo.

Que modelo PEUGEOT de competição sonha poder conduzir?

O 905 é um supercarro e eu adoro modelos clássicos. Seria um sonho poder conduzi-lo. O 205 Turbo 16 também é muito bom. Eu adorava carros de ralis quando era criança. Achei-o muito cool e adoro o barulho que fazem. Este carro é incrível, com um baixo peso e curta distância entre eixos. Era o carro que escolhia para as plataformas e-Sport quando era mais jovem.

Qual é o seu prato favorito?

Gosto de tudo, italiano, pizzas, massas, sushi, boa carne. Se tivesse que escolher, optava por um menu dinamarquês típico de Natal. Na Dinamarca, temos um prato que toda a gente come: pato com batatas, caramelizadas ou não, com molho. Não é muito dietético, pelo que só o comemos uma vez por ano!

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Como todos os tipos de saladas, às quais adiciono massa, frango, peixe ou algo leve. Não gosto de comer coisas muito pesadas ou comer muito pão ou carne antes de guiar.

Qual é a sua principal qualidade?

Penso que aprendo as coisas depressa. Comecei a andar de kart aos 15 anos, o que é muito tarde. Mas dois anos depois, aos 17, já estava na F4. Hoje fazemos menos testes, pelo que é importante encontrar um bom ritmo sem passar muito tempo em pista.

GUSTAVO MENEZES

O que é que o motivou a integrar a PEUGEOT neste regresso à endurance?

Sempre admirei a tenacidade da PEUGEOT na luta pela vitória em todas as frentes. Para ser honesto, comecei a assistir às corridas de resistência no clímax do duelo PEUGEOT contra a Audi. Assim que soube que o regresso era uma realidade, soube que tinha que encontrar um modo de entrar em contacto com a PEUGEOT e de associar os nossos objetivos de vitória.

Ao longo da sua carreira, que momento mais engraçado partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Conheço o JEV há já algum tempo, um tipo engraçado e muito determinado. Corri contra o Mikkel Jensen no karting. Sou amigo do James há muito tempo e falamos um com o outro quase todos os dias. Reencontrei-me com o Loïc na equipa Rebellion e ele parece-me estar muito motivado. Ainda não tive hipótese de conhecer o Paul e o Kevin, mas estou ansioso por fazê-lo.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

Representa o meu motto: perseverança. Le Mans é muito mais do que uma corrida, mais do que resistência, é perseverança, nunca desistir. A equipa torna-se numa família, pelo que depois de semanas de trabalho cansativo, se tudo correr bem e todos ficarem motivados, então talvez se regresse a casa com uma vitória.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

Intemporais!

Na história da competição PEUGEOT, qual é o momento que mais o marcou?

A vitória de 2009: foi a primeira vez que assisti verdadeiramente a Le Mans, ano em que houve batalhas que ficaram para a história.

Que modelo PEUGEOT de competição sonha poder conduzir?

O 908 de 2009 com o seu V12 bi-turbo. Seria um sonho conduzir esse automóvel com um motor que grita dessa maneira.

Qual é o seu prato favorito?

Nada no mundo se assemelha a um steak à japonesa! Para o dia-a-dia sou um grande adepto de um prato de frango com arroz.

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Como frango com arroz e ovos quase sempre, antes de entrar numa viatura.

Qual é a sua principal qualidade?

Sou muito transparente, honesto e adoro falar e inspirar as pessoas para que tirem o melhor de si mesmo.

JAMES ROSSITER

O que é que o motivou a integrar a PEUGEOT neste regresso à endurance?

Le Mans é um sonho para qualquer piloto e a hipótese de trabalhar para um construtor tão prestigiado apenas surge uma vez na vida. Estou realmente ansioso por colocar toda a minha experiência no trabalho para este projeto e lutar pela vitória em Le Mans.

Ao longo da sua carreira, que momento mais engraçado partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Tenho boas recordações com o Loïc, dos dias em que éramos companheiros de equipa na Fórmula 3, mas também há muitas aventuras divertidas partilhadas com o Gustavo, já que somos amigos há muitos anos. O JEV também é um amigo muito próximo e passamos muito tempo juntos, ele que faz-me sempre rir, mas que também sabe quando deve ser sério. Dito isso, vamos descobrir como esta nova aventura vai desenrolar-se porque a devemos tornar numa grande história.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

As 24 Horas de Le Mans são o teste final ao Homem e à Máquina. O nível de envolvimento exigido por toda a equipa à partida para uma vitória é inigualável. Representa o maior desafio do nosso desporto.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

Vamos a isso!

Na história da competição PEUGEOT, qual é o momento que mais o marcou?

“Climb Dance”… se não conhecem pesquisem no Youtube. Daqui a 5 minutos vão agradecer-me!

Que modelo PEUGEOT de competição sonha poder conduzir?

O PEUGEOT 405 T16 de 1988 na tal “Climb Dance”.

Qual é o seu prato favorito?

Massas japonesas. Depois de ter vivido no Japão tanto tempo, adoro os EUA.

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Massas e um pouco de salada.

Qual é a sua principal qualidade?

Um gentleman nunca se revela na totalidade.